ÚLTIMAS RESENHAS

Latest in Tech

11 setembro 2014

Nosferatu (Joe Hill)

Série: -
Editora: Arqueiro
Autor: Joe Hill
Páginas: 624
Nota do Sempre Nerd: 5/5 - FAVORITADO!
Comprar: Submarino

Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem.
Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor.
E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca... e acaba encontrando Charlie.
Mas isso faz muito tempo e Vic, a única criança que já conseguiu escapar, agora é uma adulta que tenta desesperadamente esquecer o que passou. Porém, Charlie Manx só vai descansar quando tiver conseguido se vingar. E ele está atrás de algo muito especial para Vic.
Perturbador, fascinante e repleto de reviravoltas carregadas de emoção, a obra-prima fantasmagórica e cruelmente brincalhona de Hill é uma viagem alucinante ao mundo do terror.

Uma obra-prima do horror, foi isso o que eu pensei quando terminei Nosferatu, há muito tempo um livro de horror não de deixava assim pasma e maravilhada.

Em Nosferatu vamos conhecer Vic McQueen, ela é uma uma garotinha que tem um dom especial para encontrar objetos perdidos, mas para isso ela precisa usar sua bicicleta Raleigh, pedalar bem rápido e atravessar sua Ponte do Atalho. Essa ponte a leva exatamente onde o objeto está, ou seja a ponte a leva onde ela quiser, ela só precisa focar o pensamento nisso.
Paralelamente temos a história de Charles Manx, um sequestrador de crianças. Ele é o dono de um Rolls Royce Wraith 1938, cuja a placa é NOS4A2 (Nos-four-ei-two), ele rapta as crianças e usa o carro para levá-las a Terra do Natal. Também conhecemos Bing Partridge, o ajudante de Charles Manx, ele usa uma máscara de gás e ajuda Manx em seus "negócios", sonhando em um dia também ir para a medonha Terra do Natal. 

E assim vamos acompanhando Vic e Charles.

Em um determinado momento Vic, desesperada por respostas, encontra Maggie, uma jovem capaz de conhecer brechas do futuro através de seu caça-palavras. Ela conta a Vic que existem outras pessoas como elas, com esses dons especiais e menciona pela primeira vez O Espectro (o Rolls Royce) e Charles Manx, implorando para que Vic jamais o procure.

Um dia Vic, já adolescente e rebelde, sai em busca de encrenca e acaba encontrando exatamente  o nosso sinistro vilão: Charlie Manx, essa é a primeira vez que a história deles se cruza e esse momento me causou um pânico tremendo.

Eu achei incrível a forma como Joe Hill desenvolveu a história, pois vamos acompanhar a protagonista desde a infância até a vida adulta e o leitor vai presenciar as transformações da personagem e o impacto que o seu primeiro encontro com Charles Manx causou em sua vida.

Já adulta a vida de Vic não é fácil ela é atormentada por ligações (que ninguém mais ouve) de crianças da Terra do Natal. É arrepiante, especialmente pelas coisas que essas crianças falam. MEDONHO!

O livro é recheado de ação e a cada encontro entre os dois a tensão se torna maior, pois o leitor já sabe da crueldade que Manx é capaz e isso faz com que fiquemos ansiosos e apreensivos, mas principalmente mortificados de medo, sem saber o que vai acontecer com a Vic. Acreditem não há nada clichê nesse livro. É uma surpresa atrás da outra.
Joe Hill aborda o terror de forma crescente e aos pouco vai tecendo um trama sombria e viciante, que deixa o leitor aflito até o final.

Vale mencionar também que o livro é cheio de referências, algumas às próprias obras como quando Manx fala de Craddock McDermott de "A Estrada da Noite" , e da Chave de Lovecraft de "Locke and Key" e há também referência às obras do pai com Pennywise, o palhoço de  "It-A Coisa" entre outras menções como Harry Potter, Serenity e muitos outros. Existe inclusive um artigo em inglês do New York Times que cita a arma de Manx (aquele machado) e o relaciona com uma música dos Beatles, então se você é daqueles que como eu adora esse tipo de coisa de procurar referências, mensagens subliminares, Nosferatu é um prato cheio. Há também a placa do carro, NOS4A2 que não foi jogada à toa, já que inúmeras vezes os personagens se referem ao Manx como um vampiro.

É possível perceber o grande salto da escrita de Joe Hill entre A Estrada da Noite e Nosferatu, o autor amadureceu e melhorou indiscutivelmente, tanto que Nosferatu concorreu ao prêmio Bram Stocker Awards, mas perdeu apenas para o pai que concorreu com Doctor Sleep e ganhou.

Eu amei Nosferatu, um dos melhores livros de horror que li e acho que Joe ainda via brilhar muito, também tem a quem puxar não? ;)

Ele soube criar um enredo original e único, criou personagens memoráveis e conseguiu humanizá-los de forma a encantar o leitor, além de nos levar para uma viagem sombria e arrepiante.


15 comentários :

  1. Esse livro realmente te deixou fascinada,não é Aline?
    E seguindo sua resenha bem esclarecedora e positiva,fiquei aqui cheia de curiosidade em ler.

    Quero muito me arrepiar com essa história de terror! ;)

    ResponderExcluir
  2. Antes de mais nada, um pequeno parêntese: não tem como não relacionar, de início, o título do livro ao vampiro clássico Nosferatu hehehe. Olha, vou te dizer, tenho curiosidade de ler algo do Hill mais por ele ser filho de quem é. Agora, não vou mentir, a temática do livro me atrai muito e acho especialmente interessante o fato de acompanharmos a personagem de Vic da infância à idade adulta; acho que isso cria um vínculo importante com o leitor.

    Enfim, pelo que já li/ouvi do livro, acredito que seja mesmo uma boa leitura e que me agradaria em cheio.

    Beijos, Livro Lab

    ResponderExcluir
  3. Nossa sua resenha me deixou com muita vontade de ler este livro.

    Também não leio muitos livros do gênero, mas este me parace muito bom.

    http://www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  4. Oi.

    Vou admitir que não li o post inteiro por motivos de: não quero detalhes da história.
    Quando eu gosto de um autor tenho o costume de não ler as sinopses/resenhas dos livros pois gosto da surpresa.

    Joe me conquistou muito com O Pacto. Gostei de A Estrada da Noite também, mas um pouco menos hahaha

    Eu estou ansiosa para comprar esse livro, estou esperando $$ e uma promoção beeem bacana.

    Gostei de saber o lance do nome. Eu estava achando feio/estranho chamar Nosferatu, sendo que é tão diferente do nome original mas estava totalmente enganada. Total falta de atenção.

    "(...) mas perdeu apenas para o pai que concorreu com Doctor Sleep e ganhou." APENAS hahahah para o pai pode.

    ResponderExcluir
  5. Ana Paula Lima Miranda12 de setembro de 2014 22:12

    Oii,

    Sua resenha me despertou interesse no livro :O

    Já no FAVORITO!!! HAHAHA

    Eu adoro livros de terror e faz um bom tempo que eu não leio um, quero algo que me supreenda faz tempo que isso não acontece. Adorei sua resenha e já foi pro topo da wishlist.

    Beijinhos,

    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  6. Oláaa!!

    Confesso que nunca li nada do gênero, sou medrosa demais! hahah

    Mas fiquei bem curiosa em relação a essa sinistra "Terra do Natal" e as ligações medonhas das crianças. Arrepiante só de imaginar!

    Quem sabe eu perca o medo e resolva me eventurar pela escrita do Joe Hill, né?!

    Parabéns pela resenha!

    Beijos,

    Amanda

    http://minhasconfissoesfemininas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. O que esperar pelo livro do filho do mestre né? só tenho uma coisa a dizer, PRECISO! O livro já esta na minha listinha ainda mais depois desta bela resenha


    Joice Cardoso
    www.estantediagonal.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Aline, tudo bem?
    Eu não gosto de ficar com medo, e eu fiquei com medo dessa história só lendo sua resenha, risos.... Embora eu não curta muito esse gênero, não gosto de terminar um livro me sentindo mal, e com certeza, crueldade com crianças me deixaria muito mal, pelo o que você contou, a qualidade do texto do autor é inegável, preciso dizer. Por isso, parece ser um livro muito bom.
    Sua resenha está muito bem escrita.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Já havia lido algumas resenhas e foi só elogios a esse livro, quero muito ler, terror suspense prende muito atenção do leitor . Tipo que leitura que começamos e não queremos parar. abraços

    ResponderExcluir
  10. Oi,

    Eu sou fã de terror e horror nos livros. O Joe tem o gene para escrever isso no sangue e portanto, morro de vontade de ler Nosferatu. Adoro livros que fujam do clichê e deixem o leitor atônito com tanta reviravolta e novas informações e terror. Amei as coisas que você pontuou e obrigado por aumentar minha vontade de ler :3

    Abraços
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Livros de horror não são a minha cara e esse livro parece bem assustador. As imagens do HQ de Nosferatu são bem macabras e sempre me vem a mente quando leio uma resenha do livro.. arg. é tudo medonho rs
    Bem que essa história poderia virar um filme né.. acho que daria um bom longa metragem e ai siim eu ia conhecer mais da história, até porque fiquei curiosa com o final rs.
    Será que ela salva alguma das crianças?!

    Beeeijinhos ;*
    Andressa - Mais que Livros

    ResponderExcluir
  12. Eu não leio muitos livros nesse gênero, mas gosto bastante dele, confesso que talvez ficaria com medo das partes das vozes das crianças, pois antes eu era meio perturbada em relação a isso kkkkkkk Mas a sua resenha me deixou muito curiosa, imagino que deva ser um livro incrível *0*

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  13. Uma obra-prima do horror é exatamente o que eu não quero de jeito nenhum na minha vida! rs... Sou a pessoa mais medrosa que eu conheço, quando se trata de horror/terror em livros/filmes. Que bom que não tem nada clichê e que é uma surpresa atrás da outra, e que o terror vai crescendo e deixando o leitor aflito, com certeza qualquer fã do gênero vai amar esse livro!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  14. Aline! Florrrrrrrrrrrrrrr
    Estou alucinada para ler esse livro! Eu adoro ler horror, mas li muito poucos até hj, porém os que li eram incríveis, e depois dessa resenha, tenho certeza que esse é um dos meus! Totalmente conquistada, minha colunista linda! Parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Nossa tenho vontade de ler, mas e o medo? Dizem que com ele é tal pai tal filho. E eu já li um do Stephen e morri de medo, isso que nem era um dos piores. hahahhah Mas ainda sim estou curiosa pela história. E é bom saber que ele amadureceu na escrita, é tão bom ver autores dedicados a evoluir.

    Beijos
    http://www.partesdeumdiario.com/

    ResponderExcluir